Os filhos crescem e nós também

A Maternidade é mesmo uma aventura com momentos engraçados, de medo, de choro, mas também de muito crescimento pessoal e muitas descobertas.

Durante a gravidez nos esforçamos para imaginar como serão, suas carinhas, o jeito, se será parecido com o pai ou com a mãe e muitas coisas passam por nossas cabeças, mas nem de longe conseguimos mensurar e nos preparar para tudo que advem depois do parto!

Mistos de sentimentos nos embalam por todo o tempo. Um amor que nao sabiamos que fosse possivel. Descobrimos coragem, encaramos e enfrentamos situações que antes nao passavam nem por nossos melhores ou piores pensamentos.

E olhamos aquele “pacotinho” ali em nossos braços… encantadas… maravilhadas… extasiadas… e cansadas (rsrs)

Nosso plano é que cresçam saudáveis, que sejam pessoas boas e felizes e junto vem as alegrias e dessabores do crescimento. Claro, perfeição e 100% de acerto e garantia nao fazem parte do pacote.

Acompanhamos e vienciamos cada conquista – a primeira virada, pegar o primeiro objeto, firmar o pescoço, engatinhar, andar, falar…

É eles crescem e chega um momento que não cabem ou não querem mais o colinho e querem alçar voos próprios…

Mas não era esse o plano? O objetivo e o propósito da criação?

Mas dá um frio na barriga ! Um vazio no peito… Uma sensação de não saber o que fazer com o tempo e com as coisas…

A primeira vez que dormem fora… ai que sensação extranha gente!!

Por aqui ainda nao tivemos tantas noites longe, mas as que tivemos ainda nao foram suficientes para eu me acostumar e estar zerada de sentimentos mistos.

Sim, maternidade é aprendizado diário!

Aprendemos sobre educação, aprendemos sobre comportamentos infantis, mas também aprendemos sobre nós e esses nós pode ser nos dois sentidos da palavra – sobre nós mesmas e sobre nossos nós que vamos amarrando ou desatando com o passar dos dias.

Nós que nós mesmas criamos e nem sempre sabemos porque, nem como. Nós que carregamos de nossas vivências enquanto crianças… nós de nossas criações e costumes, daquilo que estudamos e ou imaginamos que fariamos ou como seriamos… e a idéia é que a cada dia possamos desatar um pouco desses nós… esse é o crescimento, essa é a aventura!

Desatando nossos nós, deixamos ir, deixamos crescer e deixamos ser e alçar caminhos próprios. Ao passo que, se ficamos amarradas e presas, prendemos também as oportunidades de vê los felizes e sendo pessoas inteiras e independentes.

Tanta coisa!

E ainda nem chegamos perto da sensação do Ninho Vazio que será quando eles de fato saírem de nossas casas para constituírem suas famílias.

Boa essa proposta das queridas Cris e Te Nolasco dos blogs @prosademae e @bolhinhasdesabaoparamaria com o projeto Na Casa da Vizinha.
E hoje nos despertaram a pensar sobre o Tema – “Filhos e o “Criar Asas” tão cedo! Vale a pena visitar os blogs participantes da Blogagem Coletiva – BC!

 

5 respostas para “Os filhos crescem e nós também”

  1. Oi Sil, que post lindo.. Sim, nós e os nós da maternidade . Você definiu bem “uma sensação estranha” essa de deixar dormir fora onde não seja nosso aconchego.. Nem me fale em ninho vazio. Sei que vamos acostumando com o crescimento, mas com a cama e casa vazia jamais. Penso sempre no aperto que meus pais tiveram no coração quando saí. Só sendo mãe pra saber…

    Obrigada pela linda participação!!
    Mês que vem tem mais.
    Vem visitar nosso post e conhecer o Bolhinhas tb. Será um prazer!!

    Levando

    Beijos
    Tê e Maria ♡

    1. Oi Tê e Maria, não temos como segurar o crescimento não é, aliás, torcemos pelo crescimento saudável mas que é fácil para a mãe não é mesmo rsrs Mas vamos desatando nossos nós um dia de cada vez e amamos cada dia mais tudo isso!!!
      Beijos “proces”

  2. Amiga… que lindo texto!
    E lá vem a maternidade nos surpreendendo a cada dia, sim é um novo aprendizado… e lá vamos nós encarar!
    Amei quando disse que precisamos desatar o nós… deixamos ir e crescer… e o mundo é grandão pra explorar.
    Delícia de postagem, obrigada por participar.
    Já levei o link!
    bjs, Cris

    1. Cris, que bom que gostou! Tão gostoso quando conseguimos traduzir o que sentimos e outras mães também se identificam não é. É o que nos alimenta a continuar escrevendo e alimentando nosso crescimento e compartilhamento de descobertas… desatando nossos nós rsrs
      Beijusss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *